3 de mai de 2011

2@Vermelha e Calendário da Paz

Mensagem recebida da irmã Fernanda Madureira na lista ´circulodemulheres-mg

Queridas flores, bom dia!!

O dia hj começou cedo para mim, e com uma energia maravilhosa!! Vesti minha calça vermelha e vim trabalhar, certa de que o dia seria muito especial!!

Quando fui ler o KIN do dia, tive uma grande surpresa, LUA CRISTAL VERMELHA, que tem a ver com (PURIFICAR, FLUXO e ÁGUA UNIVERSAL) energia do selo LUA e (DEDICA, UNIVERSALIZA e COOPERAÇÃO) - energia do tom CRISTAL.


Estamos também no 1º dia da semana que é a semana VERMELHA, do CONHECIMENTO, (ciclo de 7 dias). Ela abrange o período de DALI, 1, a SÍLIO, 7, (de 02/05/2011 a 08/05/2011) do calendário gregoriano, período no qual "O CONHECIMENTO INICIA A VISÃO"


Para quem não conhece o Calendário da Paz, vou enviar em anexo uma explicação para compreensão e outras informações no site: www.calendariodapaz.com.br

Achei muito especial compartilhar isso com vcs!!


Um ótimo dia a todas!!

Beijos vermelhos!!

28 de abr de 2011

Relato Círculo Lua Nova 13 de Março

Com algum atraso... envio relato-inspiração do nosso círculo de domingo, com a alegria de compartilhá-lo também com todas as mulheres presentes em alma...
É um pedacinho grande e sentido de mim... me sinto honrada!
envio bênçãos a todas as mulheres...
Com amor,
Larissa

Círculo de Mulheres Lua Nova... Encontro de 13 de março de 2011, em Casa Branca...
Voltei pra casa carregada, sentindo-me alegre, plena. No meu corpo circulava tanta energia que me pus a arrumar a casa e só parei depois de duas horas! As simpáticas bonequinhas que acompanham o bastão ganharam um lugar na minha estante, camarote para o meu despertar. Vai ser uma delícia acordar e olhar logo para elas! A primeira tem na cabeça um cestinho cheio de bênçãos em forma de pétalas: confiança, gratidão, amor incondicional, estrutura, beleza, serenidade, paz, irmandade, alegria, felicidade, leveza... A segunda carrega um menino pendurado ao seio e me lembra que o nosso corpo é abundância. Abundância sagrada, em nutrição, movimento, feminilidade e força dentro de nós... aos pés dela, repousa o bastão..
Escrevo rápido, são quase 22h, não dormiria em paz sem compartilhar.... A vibração do círculo ainda tão presente em mim. À mente retorna uma imagem... as estrelinhas no coração de cada uma viajando até o centro do círculo e unindo-se em uma só... uma grande estrela sobre o nosso altar que arremessamos com amor ao infinito. Meu peito aberto, iluminado por essa luz... enquanto o corpo perdia forma e viajava com ela, até um lugar onde os contornos não existem e experimentamos ser um. Aconteceu ali, naquele círculo. Na simplicidade de mulheres que se encontram a compartilhar verdades que descobrimos uma também. Círculo de espelhos, onde estou eu, se tudo é reflexo? Em mim, em ti, no outro. Em quem fala e escuta, doa e recebe, em quem se permite e em quem não... A todos esses fragmentos de minha grande alma, que a mim ensinam, recordam, inspiram, enaltecem... eterna gratidão.
No coração novos rostos, cores, sorrisos... Mãe divina, mas sou só eu a perceber em cada uma tanta beleza? Vocês são deusas, maravilhosas como são, cada uma em seu altar de suprema perfeição. Não nos esqueçamos disso. De honrá-lo, de enchê-lo de flores, cuidá-lo com o carinho maior que podemos ter, maior do que o que dedicamos a qualquer pessoa por mais amada que seja. Vistamos nossas saias esvoaçants, na aba sopro de mar e de concha, dancemos a nossa poesia, a alegria da simples existência, a beleza de nosso próprio coração, em celebração magnífica. Teu corpo é teu altar. Teu coração, a morada divina. Tua luz, a luz do mundo inteiro... verdadeiro sol...
E quando nos esquecermos... oh sim, porque nos esquecemos! Pois ainda há jornada no recuperar o nosso real valor... Quando nos esquecermos, haverá sempre um círculo de mulheres. Pronto a rasgar espaço com seu giro encantado, pronto a receber quem precisa de espelho. E nos muitos fragmentos presentes em cada uma das deusas, a inspiração é certeira! Os olhos se enchem de lágrimas, o coração se permite, a alma respira casa. E recorda. Com a alegria de voltar... E em acolhida tão linda, a gratidão abraça tudo. Porque nisso até o perder-se faz sentido, porque nada pode ser mais mágico do que ESSE lembrar. Posso me perder mil vezes. Havendo um círculo de mulheres por perto, serena certeza de que sempre vou voltar.
Na luz e para sempre, guerreiras de minha alma...
Gratidão por esa batalha, pelo percurso que assumimos.
É bênção inigualável ter companheiras tão lindas.
Aha! Aha! Aha!
Que o círculo nunca termine.
Meu coração exalta em ser feminino,
canta canções que aprendemos juntas...
Para um despertar em melodia...
E muito em breve, num amanhecer de luz...
os homens despertarão de um sonho ouvindo entoar ao longe estranha melodia... distinguirão vozes singelas, fortes, decididas.. se levantarão desnorteados buscando essas vozes, procurando ao redor sem saber de onde vêm... No aproximar-se delas, perceberão o céu que clareia, presenciando o raiar de um novo dia... E da direção da montanha, abrigo de florestas e cascatas, casa de nascentes e pássaros, verão mulheres que se aproximam, trazendo um embrulho nos braços, arrastando juntas misteriosa encomenda.
E devagarinho, enquanto a luz se intensifica, perceberão que ali mesmo, envolto em panos e música, coberto de flores e poemas, encontra-se o próprio sol... Sol de brilho novo, renovado por conhecer seu outro extremo, o lado da luz de onde a luz não vem... Sol que aprendeu com as mulheres a abraçar o seu escuro para ver, no gesto, que a luz é irresistível... Sol que um dia quis deixar de representar o homem e disse a si mesmo "eu vou até aquela montanha, onde vozes rezam ao fogo, onde vozes pedem por luz às mulheres... eu vou até lá ver o que elas estão fazendo, e por que há tanto tempo se reúnem evocando luz... "
E na noite em que criou coragem, na noite em que atendeu o chamado, o céu ficou mais escuro. O sol embarcara em uma longa viagem, rumo ao escuro do útero para, conhecendo o seu oposto, descobrir o segredo de sua própria luz.
Naquela manhã, quando tudo parecia mais escuro do que nunca aos homens, as mulheres levantaram o seu canto. Em uma noite, em uma única noite, haviam oferecido ao sol os seus ventres, haviam encorajado o sol, convidando-o a entrar ali... Em uma noite, viveram uma gestação inteira...E então, com a força de seus próprios corpos, com a imensidão maleável de seus ventres, com um grito de força que atravessou os céus, deram a luz a uma nova estrela.As mulheres pariram o sol. Um sol diverso, feminino. Acolheram-no com cantos, ofereceram-lhe seu alimento abençoado, nutriram-no. E levaram-no aos homens, em oferenda, cantando em cerimônia de gratidão...
Daquele dia em diante, um novo sol ilumina a terra, e os homens aprenderam algo que não sabiam sobre si mesmos.Com a beleza desse novo astro, começaram a honras as mulheres. O sol deixou de ser masculino para passar a representar a luz da união. Sorrisos nasceram, pois tudo era assim tão cheio de luz! E os homens foram felizes, lembrando-se de ter dentro de si mesmos, cada um em seu coração, o brilho novo desse sol.
Quando terminei esse texto fui presenteada com a imagem de uma borboleta através de meu próprio sangue... Sorri ao vê-la. Meu sangue viera durante o círculo de hoje, sangue nosso, compartilhado, já esperado e vivido em nós... A borboleta me saudava, saudava meu texto, a bênção do reencontro com a minha própria escrita... Me dizia que minhas asas eram de novo prontas para vôos mais altos, presenteava-me com liberdade. Era eu, no reencontro de mim. Encontrando vocês, encontrei a mim mesma.
Com o sangue, ainda um segundo presente: um nítido e vermelho coração, que parecia ter asas. Coração alado, explodindo de amor. Novo sorriso. A chave de tudo.
Com outro pedaço de papel em mãos, preparei-me para outro presente. Não reconheci de cara o que era, mas girando a imagem por um instante, então pude vê-la. Era a minha imagem. Meu eu esvoaçante. Minha alma borboleta. Meu coração alado, pronto ao vôo no reconhecer-me. Me perco. Me busco. Me encontro. Gratidão por cada passo que há no entre. Gratidão pela mensagem do meu sangue. Gratidão por abraçar as verdadeiras medicinas: nosso círculo, a água, minha escrita, nosso sangue.
Aha!
Gratidão...

Lari Ahmyo*

Círculo da Lua Vermelha

Círculo da Lua Vermelha

Domingo, dia 01 de Maio de 2011

Parque das Mangabeiras - BH - MG

Um encontro para nos lembrarmos da sacralidade do nosso sangue e da nossa natureza cíclica... Identificando as quatro fases do nosso ciclo, assumimos um percurso de maior consciência e aceitação dos diversos momentos que atravessamos a cada lua, e aprendemos a nos mover com maior suavidade através deles. A Bruxa, a Virgem, a Mãe e a Feiticeira são aspectos a serem observados, identificados e vivenciados, de modo que possamos integrar em nós a totalidade do ser mulher. Um caminho individual, de autoconhecimento, que cada mulher pode trilhar consigo mesma... Um cuidado, um carinho, um espaço para o feminino...

Descobriremos juntas um modo de fazê-lo através do desenho do Diagrama Lunar. Falaremos sobre a importância de receber o nosso sangue de maneira diversa, com honra e gratidão. Abordaremos temas sobre a fertilidade consciente e compartilharemos também nossas experiências em círculo. Tragam papel (com um caderno para apoio), lápis de cor, canetinhas, borracha, régua e compasso (quem tiver). Ah! Lembrem-se de vir de saia e convidem outras mulheres!

Para mais informações sobre a vivência contactar Larissa: lalaemportugal@gmail.com


Dia 1º de Maio, domingo, no Parque das Mangabeiras, a partir das 14h.

Local: Ilha Mística

(Para quem vier pela manhã para a Feira de Trocas o encontro é às 9:30 na Praça das Águas)

Como chegar: Após a praça das águas, descer uma escadinha que vai sair numa estrada de pedras! Seguir uns 100 metros e virar à esquerda, andar mais 30 metros e chegou!


Qualquer dúvida informem-se na entrada do parque ou, em caso de mulheres perdidas, liguem para um dos números abaixo:

Larissa 8540-2498

Fernanda 8891-0904

Pri 9407-4439

Escolhemos a Ilha Mística por ser um pouco mais afastada do “miolinho” do movimento, além de espaçosa e arborizada, o que nos garante sombra para os nenéns e para nós no meio do dia... Lembrem-se, porém, de levar agasalho, pois lá quase não bate sol, além de cangas e esteiras para sentar no chão e um lanchinho para o piquenique. (Se por qualquer motivo decidirmos mudar de lugar, quem chegar mais tarde pode nos localizar ligando nesses números.)

No mais, reforço o convite para aproveitarmos a ocasião para preparar algo para a 2ª Vermelha, dia 2 de Maio. Mesmo quem não planejar participar no dia pode contribuir com energia e levando tecidos, papel craft, cartolina e tinta/canetas vermelhas. Além de ideias!

ESPERAMOS TODAS!!!!

25 de abr de 2011

Segunda Vermelha 2011

Mulheres Mineiras Maravilhosas,
Como vamos celebrar o Atismo Menstrual em Bh para a 2@Vermelha 2011?

Do blog da 2@Vermelha 2011:
Algumas perguntas irão nos nortear esse ano:

Quais mudanças ocorreram e se ocorreram para que lado estamos indo?

Existem mais mulheres valorizando sua menstruação?

Ou as mulheres que já valorizavam antes é que estão mostrando a cara?

As mulheres que (ainda) não gostam de sua menstruação, continuam acreditando nisso? Algo mudou?

Faz e fez diferença se ter acesso a formas (absorventes reutilizáveis e coletores) de segurar o sangue menstrual?

O que isso efetivamente traz para saúde física, emocional e política da mulher?
As mulheres estão mais responsáveis por seus corpos?

Se sim, porque ainda tem tanta gente, que não seja a mulher, falando com autoridade sobre o corpo dela?

As que escolhem parar de menstruar escolheram ou alguém escolheu para ela?

Se ela escolheu, existe produção cientifica sobre os danos à longo prazo na saúde emocional e física da mulher com relação a essa escolha?

Seria reversível?

Por isso, como ação principal, iremos fazer uma Tarde de Palestras, aqui em São Paulo (breve divulgaremos o endereço) e uma mesa redonda para discutirmos, trocarmos e descobrirmos o que se tem de novo sobre o assunto e, se por ventura, novas dúvidas surgiram.


Fonte: http://segundavermelha.blogspot.com

4 de abr de 2011

Convite: Abril 2011


Círculo de Fevereiro com Afrodite, A Deusa do Amor

Mulheres sintonizando com a energia do arquétipo da deusa grega Afrodite que traz o ensinamentos ligados ao Amor. Celebramos o dia de Afrodite com um altar e ritual de benções.

Afrodite oferece cura para o Amor-próprio, a Beleza e o Prazer Sexual em nossas vidas. Sentadas em círculo, somos todas UMA. Eu sou o espelho da minha irmã. Ela espelha a minha luz. Irmã, Você é tão bela, Você é tão forte, Você é cheia de Graça! Gratidão e Amor, Alex Godinho

13 de fev de 2011

Afrodite: Amor



Clique aqui e visite a o site da Revista Bons Fluidos para conhecer o Oráculo das Deusa.

O Círculo de Mulheres que aconteceu na Lua Nova de Fevereiro contou com uma Celebração de Afrodite que é a deusa do Amor, da Beleza e do Prazer Sexual.